Treinador de futebol suspeito de abuso sexual é preso em Eunápolis


O treinador de futebol Gilberto Júnior Rocha da Silva, de 28 anos, conhecido como “Juninho”, foi preso nesta terça-feira, 22, suspeito de aliciar e abusar sexualmente de seus alunos na cidade de Eunápolis.

Conforme a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), os crimes aconteceram numa escola de futebol onde ele trabalhava. Juninho foi detido após policiais da 23ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Corpin) cumprirem mandados de prisão temporária, busca e apreensão.

De acordo com delegado Moisés Nunes Damasceno, as investigações começaram após denúncia de um adolescente. “No início, para atrair suas vítimas, ele se passava por uma mulher. Após enviar fotos com conteúdo pornográfico, obtidas por ele na internet, ainda fingindo ser menina, Gilberto induzia os garotos a também enviarem fotos”, explicou Damasceno, por meio de nota divulgada pela SSP-BA.

Com as fotos íntimas dos meninos, Juninho se identificava e passava a ameaçá-los, dizendo que divulgaria as imagens para toda a cidade, solicitando mais fotos e vídeos íntimos. “Ele coagia os adolescentes a realizarem cenas eróticas durante chamadas por vídeo ao vivo. Em outros casos, ele chegava a marcar encontros presenciais, mediante ameaça e praticava atos sexuais com as vítimas” detalhou o delegado, em nota.

Durante as buscas na casa de Juninho, foi apreendido material contendo imagens pornográficas de diversos adolescentes. A polícia também investiga a suspeita de outros sete casos. O treinador segue detido e à disposição da Justiça. (Informações: A Tarde)

LINHARES: Pastor estuprou, agrediu e ateou fogo no filho e no enteado, diz delegado


Polícia Civil concluiu que o pastor George Alves matou o próprio filho e o enteado em Linhares, na região Norte do Espírito Santo, segundo o inquérito policial divulgado nesta quarta-feira (23).

A perícia aponta que o acusado estuprou as crianças, agrediu e colocou fogo nelas ainda vivas. A polícia disse que o inquérito vai ser encaminhado à Justiça na próxima semana.

O acusado está preso temporariamente e a Justiça decidiu prorrogar a detenção por mais 30 dias. Ele foi indiciado por duplo homicídio triplamente qualificado e duplo estupro de vulneráveis. A soma máxima das penas pode chegar a 126 anos.

A mãe, de acordo com o inquérito, não tem participação no crime e não é investigada. Ela foi procurada pela reportagem, mas não quer se manifestar neste momento.

“O conjunto de indícios nos demonstra que, naquela madrugada, o investigado, inicialmente, molestou as duas crianças, tanto o filho biológico Joaquim quanto o enteado Kauã, mantendo um ato libidinoso”, afirmou o delegado André Jaretta, de Linhares.

 

Jaretta contou que, para ocultar o ato sexual, George agrediu as crianças, o que foi comprovado pelos vestígios de sangue no banheiro, que o exame de DNA atestou ser de Joaquim.

“Com as duas vítimas ainda vivas, porém desacordadas, o investigado as levou até o quarto, as colocou na cama e ateou fogo nas crianças, fazendo com que elas fossem mortas com o calor do fogo”, explicou Jaretta.

O delegado disse ainda que os meninos morreram pela carbonização. “Isso tudo é comprovado pelo exame pericial. As crianças continham fuligem na traqueia e o exame demonstrou que elas ainda respiravam quando começou o incêndio”, afirmou.

Pai de paciente denuncia ter sofrido agressão no hospital de Itamaraju


Um caso de princípio de tumulto seguido de agressão foi registrado no último sábado, dia 19, no Hospital Municipal de Itamaraju (HMI). Gilmar Cardoso de Souza acusa um médico de ter lhe agredido na recepção da unidade hospitalar. O nome do médico ainda não foi divulgado.

Um Boletim de Ocorrência foi registrado na delegacia de polícia local por Gilmar, que exerce a função de Conselheiro Municipal da Criança e Adolescente de Itamaraju.

Em uma entrevista concedida à Rádio Terramar FM, nesta terça-feira, dia 22, Gilmar relata ter comparecido à unidade de saúde para acompanhar o atendimento do seu filho. Ele alega que foi impedido de permanecer no local com seu filho que estava sendo submetido à consulta médica. Após ter sido repreendido pelo médico, Gilmar retirou-se da sala de espera e deslocou-se à recepção para aguardar.

Na entrevista, Gilmar disse que presenciou um princípio de tumulto acontecendo na recepção do hospital. De acordo com ele, outros pais reclamavam da ausência de pediatras no plantão. Nesse momento o conselheiro municipal decidiu utilizar o seu celular para gravar imagens de uma das mães que questionava a demora no atendimento e a ausência do especialista para atendimento das crianças.

No entanto, segundo Gilmar, um médico aproximou-se dele e desferiu-lhe um tapa no peito dizendo que ele “estava causando tumulto”. O conselheiro contou que ficou sem reação, e após isso permaneceu do lado de fora da unidade hospitalar até o fim do atendimento ao seu filho, sem poder acompanhar o diagnóstico da criança. O Conselheiro ainda disse que registrou ocorrência e vai formalizar uma denúncia no Ministério Público Estadual (MPE). A Secretaria Municipal de Saúde de Itamaraju não comentou o assunto.

Prefeitura de Prado vai realizar um grande Mutirão de Saúde com mais de 12 médicos em Cumuruxatiba


O mutirão de atendimentos médicos e serviços de saúde será realizado em Cumuruxatiba, distrito do município de Prado. Durante todo o dia 26 de maio (sábado), os pradenses que residem na localidade ou em comunidades próximas, serão atendidos numa grande estrutura montada pela Prefeitura de Prado. A ação é uma parceria com a Força Aérea Brasileira (FAB).

Ao todo, o mutirão vai contar com uma grande equipe e com mais de 12 médicos, são eles, pediatra, psiquiatra, oftalmologista, ortopedista, ginecologista, otorrinolaringologista, neurologista, cardiologista, cirurgião e clínico geral, atendendo a população. Além dos atendimentos, ainda serão distribuídos medicamentos para os pacientes diagnosticados no mutirão.

Segundo a prefeita de Prado, Mayra Brito, outros serviços também serão oferecidos nessa ação. “Os Pradenses que moram e vivem nas proximidades de Cumuruxatiba ainda vão poder aproveitar para fazer testes rápidos de HIV e Sífilis, aferir glicemia e pressão e cadastrar ou imprimir o Cartão SUS”, explicou.

Para o Secretário Municipal de Saúde, Luciano Ferreira da Mota, o trabalho de prevenção deve ser rotineiro e faz um alerta aos munícipes. “Um dos trabalhos principais no nosso município é com a prevenção e os cuidados com a saúde, então é importante que todos que precisam deste tipo de atendimento procurem sempre o posto mais próximo da sua residência e previna-se contra qualquer tipo de doença que venha prejudicar no seu dia a dia”, frisou o secretário.

Município do Prado realiza treinamentos com plantas medicinais com os agentes de saúde nas UBS


O núcleo de apoio e assistência a família (NASF), sob coordenação da bioquímica e terapeuta holística Gerusa Sales da Silva, está realizando  uma turnê em todas as unidades básicas de saúde (UBS), para ministrar um curso de treinamento junto aos agentes de saúde, com o  uso racional  de plantas medicinais, além da sede de Prado, os povoados e distritos estão sendo visitados, dentre eles: o Guarani, Corumbau e Velereiros.

 

 

O curso visa promover e reconhecer as práticas populares de uso de plantas medicinais e remédios caseiros, tudo com  segurança, eficácia e a qualidade no acesso a plantas medicinais, de forma que os resultados do uso dessas plantas medicinais, sejam utilizados na saúde pública. Nosso país possui a maior diversidade vegetal do mundo, com cerca de 60.000 espécies vegetais superiores catalogadas, mas apenas 8% foram estudadas para pesquisas de compostos bioativos e 1.100 espécies foram avaliadas em suas propriedades medicinais.

 

Os participantes desse curso vão receber  o certificado que será entregue no término do treinamento.
A prefeita Mayra Brito parabeniza a coordenadora Gerusa Sales da Silva e todos os agentes que participam do curso, na certeza de que essas mudanças nos hábitos de vida das comunidades, vão possibilitar melhores condições de saúde para a nossa população.

 

 

Manhã de lazer promovida pelo CAPS alegra a vida dos pacientes de Prado


O Centro de Atenção Psicossocial – CAPS, tem o objetivo de oferecer atendimento à população de forma humanizada, realizar o acompanhamento clínico e a reinserção social dos usuários pelo acesso ao trabalho, exercícios dos direitos civis, fortalecimento dos laços familiares e comunitários e lazer.

 

 

O município de Prado tem uma equipe integrada que trabalha com dedicação e amor para dar suporte aos seus usuários e incluí-los no contexto social, como é o lema do CAPS.
Nesse mês de maio que é dedicado às mães, várias atividades estão sendo realizadas com os pacientes do CAPS, promovidas pela sua equipe. Uma delas é a manhã de lazer, na praia do Centro, com direito a muita recreação.

 

 

A prefeita Mayra Brito congratula-se com todos que compõe a equipe do NASF e envia aos participantes um forte abraço e o seu carinho por cada um deles.

Visual novo dos alunos da hidroginástica do NASF no município de Prado


Praticar atividade física é ideal em todas as fazes da vida, e a hidroginástica é uma atividade física muito prazerosa que proporciona bem estar, diversão e uma vida social mais ativa, já que a atividade é feita em grupo, esse é um dos motivos para que a hidroginástica seja a atividade física mais bem quista pelos grupos da melhor idade.

 

E no Prado não é diferente, por isso, a prefeita Mayra Brito tem dado o maior apoio para a equipe do NASF realizar essa modalidade física com aqueles que desejam se sentir mais dispostos fisicamente, psicologicamente e mentalmente no seu dia a dia.

O grupo liderado pelo professor Danilo Itajay ficou mais bonito e integrado com a chegada dos uniformes que já estão em uso por parte dos alunos do professor Danilo, que estão se deliciando na piscina nas dependências do prédio da prefeitura municipal de Prado como o novo visual.

Parabéns a essa equipe top que tem proporcionado tantas alegrias nas vidas dos nossos jovens da melhor idade.

 

Secretaria de Obras do Prado realizou ações de serviços na Ladeira dos Costas


O município do Prado realizou através da Secretaria Municipal de Obras mais um trabalho de extrema importância para o município com o mutirão de serviços na Ladeira dos Costas, essa conhecida ladeira fica entre o distrito do Guarani e o povoado de Palmares. O local se encontrava com vários declínios (tecnicamente conhecido como arieiras), causando riscos para quem transitava por lá.

 

 

 

 

 

Todo esforço da equipe da secretaria de Obras, administrada pelo secretário Marcos Mafra, valeu muito apena, dado o resultado dos serviços realizados.

Governo Mayra Brito, trabalho, compromisso e renovação.

PRADO: Homem tenta sacar um cheque de forma fraudulenta na agência da caixa e é abordado por seguranças


Na tarde desta Segunda-feira dia 21/05, um homem ainda não identificado, tentou de forma fraudulenta efetuar o saque de um cheque na Agência da Caixa localizada no centro da cidade de Prado.

O mesmo foi abordado pelos seguranças do banco,  que logo teve o apoio da viatura da polícia civil que passava no local naquele momento prendendo o suspeito de estelionato.

As pessoas que estavam no local chegaram a gravar um vídeo que logo tomou as redes sociais sobre um possível assalto. Mas a polícia militar divulgou uma nota esclarecendo o ocorrido.

 Nota de esclarecimento

PMBA – CPRS / Itabuna
88ª CIPM / Alcobaça

A 88ª CIPM / Alcobaça esclarece que não houve roubo algum na agência da Caixa Econômica Federal na Cidade do Prado – BA. Um cidadão tentou efetuar um saque de um cheque naquela agência de forma fraudulenta e foi abordado pelos seguranças. Uma viatura da Polícia Civil passava pelo local e apoiou a prisão do suspeito responsável pelo possível estelionato.

88ª CIPM / Alcobaça
“A guardiã da Costa das Baleias”

Comunicação Social da 88ª CIPM

BRASIL: Crise tirou 170 mil jovens da faculdade


Douglas Gavras, O Estado de S.Paulo

19 Maio 2018 | 21h00

O aumento expressivo do desemprego entre os jovens durante os anos de crise não preocupa apenas pela queda na renda das famílias. Ele se reflete na formação. Mais de 170 mil brasileiros, com idades de 19 a 25 anos, abandonaram a graduação só no ano passado e tiveram de adiar o sonho de ascender socialmente pelos estudos.

Na fila do seguro-desemprego, Miguel Júnior, de 23 anos, admitia que a faculdade de Engenharia ficaria para depois. Filho de uma empregada doméstica, ele dependia do emprego em um centro de distribuição de medicamentos para pagar os estudos, mas o corte de funcionários começou há dois meses. “Já escolhi a faculdade, mas preciso fazer uma poupança antes de começar o curso. O que mais tenho são amigos que tiveram de parar a faculdade na metade, quando a crise apertou.”

A desistência não cresce apenas em anos de crise, mas esse movimento havia sido bem menor em anos anteriores, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, do IBGE, compilados pela consultoria LCA. A média do aumento do estoque de estudantes que tiveram de abandonar seus cursos de graduação era de cerca de 5% ao ano, entre 2013 e 2016.

Essa evasão aumentou 47,8% entre 2016 e o ano passado, acompanhando o movimento de fechamento dos postos de trabalho e a redução da oferta de financiamento estudantil.

“Isso também tem a ver com o aumento da oferta do ensino superior e com o maior acesso às universidades nos anos anteriores à crise. A evasão é naturalmente grande, mas em 2017 foi pior pelas restrições de emprego e de renda”, avalia o economista Cosmo Donato, da LCA.

“O aumento da evasão faz todo o sentido, também pela redução da oferta do Fies (programa de financiamento estudantil) nesse período. O que a gente chama de restrição de crédito para os estudantes foi muito grande nos anos de crise, sem financiamento e, vendo a renda da família diminuir, o jovem acaba não tendo uma outra saída.”

Com a erosão das contas públicas, o governo também restringiu o acesso ao Fies. Em 2017, foram 98,9 mil contratos. Esse número tem caído desde 2014, quando foram 732,7 mil.

Intervalo. Um outro agravante é que muitos chefes de família perderam o emprego durante a crise – quase 2 milhões deles deixaram o mercado formal em três anos. Os mais jovens não tinham os estudos necessariamente pagos pelos pais, mas muitos deles foram forçados a entrar no mercado de trabalho mais cedo para ajudar no orçamento da família.

O professor do Insper Sergio Firpo lembra que os números da Pnad apontam que os filhos com escolaridade baixa têm participação maior no mercado de trabalho, e que a desocupação cresceu mais durante a crise entre os chefes de família que têm baixa ou média escolaridade.

“Os jovens de famílias com pais de baixa escolaridade tiveram chances maiores de serem afetados pela crise, porque são mais facilmente empurrados para o mercado de trabalho do que os adolescentes de famílias mais ricas”, diz Firpo.

Justamente na faixa entre 19 e 25 anos, que costuma ser composta por uma mão de obra pouca qualificada, mesmo a volta ao mercado de trabalho é mais complicada, diz Donato. “Um chefe de família pode voltar a ter carteira assinada, ganhando menos. O jovem tende a voltar com renda menor e, na maioria das vezes, informal.”

O rendimento real entre esses brasileiros quase não variou de 2016 a 2017, segundo a LCA, com aumento de 0,1% – enquanto nas faixas etárias mais velhas, a alta foi de 1,1% a 4,7%.

Momento difícil. O sonho de Walas dos Reis, de 29 anos, de abrir uma empresa para administrar e assessorar a carreira de cantores está, por enquanto, adiado. Em 2015, no auge da crise, ele, que nas horas vagas também canta, toca violão e faz uma dupla sertaneja com o irmão, teve de largar a faculdade de administração em Vitória (ES), porque ficou desempregado. “Fiquei sem condições de pagar o curso.” Ele trabalhava como segurança e ganhava R$ 1.750. Gastava mais da metade com a faculdade.

DNT 09-05-2018 SAO PAULO – SP / ESPECIAL DOMINICAL / ECONOMIA OE / ESPECIAL GERACAO PERDIDA – Walas Reis, 29 anos – FOTO DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO

Sem opção, ele e o irmão, que também abandonou a faculdade, embarcaram para São Paulo em fevereiro de 2017. A expectativa da mudança de cidade era arranjar um emprego na área de administração e impulsionar a carreira artística da dupla sertaneja Wallas e William.

Mas não foi bem isso que conseguiu. “Coloquei currículos em várias empresas, mas eles disseram que, como não concluí o curso, não tenho como trabalhar na área.” Na carreira artística, o recomeço em São Paulo também foi difícil.

Nos últimos meses, ele se empregou como faxineiro num prédio, ganhando R$ 1.300. Alguns shows começaram a aparecer. Reis diz que não tem vergonha de trabalhar como faxineiro para sobreviver. “O Brasil está num momento difícil para os jovens que não têm uma condição financeira.”

Situação piorando. Pouco antes de completar 20 anos, em dezembro do ano passado, Mauro Turpin optou por trancar o curso de publicidade e propaganda para reforçar a equipe da empresa dos próprios pais. “Eles não exigiram, mas eu via que a situação estava ficando cada vez pior. Queria ajudar nas contas.”

Inicialmente, os dois anos de estudo de Mauro iriam servir para estruturar uma nova estratégia de marketing da empresa, composta por uma fábrica de bijuterias e uma loja. Entretanto, com o corte de funcionários, em poucos dias o estudante passou a ser o “faz-tudo” da loja, transitando pela função de vendedor e idas ao cartório.

turpin
Mauro quer voltar aos estudos este ano Foto: Daniel Teixeira/Estadão

A parceria começou a se desgastar: “O trabalho não estava sendo o que eu queria”. Após três meses longe das salas de aula e sem experiência prévia no mercado, Mauro tentou procurar estágios na área, mas descobriu que antes precisava voltar para a faculdade. “Por sorte, os pais de uma amiga têm uma agência de publicidade, e ela me indicou para uma vaga.”

A vaga não é com carteira assinada – ele mesmo ainda não tirou o documento – e trabalha oito horas diárias, ganhando pouco mais de R$ 1 mil. O jovem pretende retornar aos estudos no segundo semestre de 2018.

Apesar de não ser registrado, ele valoriza a vaga. “Uma coisa que nunca gostei é de depender dos meus pais. É bom ter controle da minha vida.”

Sonhos distantes. A pior parte de deixar o emprego de jóquei e tratador de cavalos foi se despedir dos animais. “Eu tinha o emprego que eu pedi a Deus”, lembra Genilson da Silva, de 25 anos, demitido do Jóquei Clube de São Paulo.

Ele lembra que sempre, desde pequeno, tinha o sonho de cuidar de animais. A baixa estatura e peso o ajudaram a se qualificar para a profissão. “Pensei em ser veterinário ou trabalhar em um haras. Crio um cavalo em casa, o Faísca. Ele hoje é uma das minhas principais fontes de renda. Depois dele, ainda arranjei mais quatro.”

genilson
Genilson tenta vaga de limpador de vidros Foto: Daniel Teixeira/Estadão

Genilson, que aprendeu a montar aos dez anos, só se arrepende de ter deixado os estudos de lado. “O meu sonho atual é terminar o ensino médio. Com estudo já é difícil arrumar um emprego, imagina na minha situação.”

Sem trabalho fixo, Genilson tira parte da renda alugando os cavalos para eventos, como aniversários e desfiles, além de oferecer passeios de charrete. O custo de manutenção é de R$ 250 por mês, além do aluguel.

Com o orçamento curto, ele decidiu tentar a vaga que aparecer. “Apesar de ainda sonhar com outro emprego em que possa cuidar de bichos”, conta, ao se candidatar a limpador de vidros de edifícios. “Sonhar longe, a gente sempre sonha. Mas parece que até os sonhos ficaram mais distantes agora.”