Em Prado não há quem resista o encanto das praias cristalinas de um paraíso chamado Corumbau


O balneário de Corumbau representa o sonho de férias de muita gente. Isolado do resto do mundo, o destino é um lugar perfeito para curtir praias de areia branca banhadas por águas marinhas rasas e translúcidas. O mar ganha seu aspecto cristalino após atravessar as extensas faixas de corais dos seus arquipélagos. O mar é transparente, que mais parece uma rasa piscina natural. O turista que visita Corumbau pode passar os dias pulando de praia em praia, onde o sol é abundante. Passeios de barco e snorkel sobre corais são duas das atividades turísticas mais populares do destino.

foto 02O local também oferece excelentes e luxuosos hotéis para seus visitantes.  As opções de hospedagem variam: o forasteiro pode ficar tanto em simples pousadas como em luxuosíssimos hotéis, que abrigam restaurantes chiques e oferecem praias particulares a poucos passos dos quartos e bangalôs. São praias de areia fofa e branca, cercadas por coqueiros e banhadas por um fascinante mar azul. A água cristalina, fauna, flora, natureza e muito calor fazem do local o mais agradável para curtir o verão. Além das paisagens de tirar o fôlego, Corumbau possuem águas tão azuis que podem, facilmente, ser confundidas com as praias do Caribe, conhecidas pelo mar cristalino e bem azul.

Foto 03Distante 102 km da sede do município, está o balneário de Corumbau e o seu mar azul, que em tupy-guarani significa “o fim do mundo e o começo da terra” ou “longe das preocupações”. O nome traduz a bela paisagem onde a ponta de terra avança para o mar, passando a impressão de que se está no começo ou no fim do mundo. A praia é considerada uma das mais belas do Brasil: o mar é de águas claras, onde se enxerga o fundo, de fina areia branca, com trechos de Mata Atlântica. Além de nadar, os visitantes podem aprender costumes com os nativos e se deleitar com deliciosas receitas de frutos do mar.

Os pescadores da aldeia de Corumbau têm como vizinhos os índios pataxós e o Parque Nacional de Monte Pascoal. Aliás, o Monte fica bem visível, desde a estrada que liga o distrito de Cumuruxatiba ao balneário de Corumbau. A ponta de Corumbau é a praia do extremo-norte do município de Prado, situada no limite da divisa com o município de Porto Seguro. O balneário possui uma extensa faixa de areia clara com tons dourados e um mar azul turquesa e cristalino.

Foto 04Esta região é uma reserva de proteção ambiental, denominada Reserva Extrativista Marinha de Corumbau. Numa perspectiva do mar para o litoral, avistamos os recifes de corais, vegetação de restinga, coqueiral, manguezal, rio e mata atlântica. A Ponta do Corumbau, caracteriza-se por uma extensão de areia de aproximadamente 900 metros que adentra ao mar. O acesso é a partir de 40 km de asfalto da sede até o distrito de Guarani e 62 km em estrada de chão até a Ponta do Corumbau.

Foto 05Basta conhecer Cumuruxatiba e Corumbau para estar certo de que o paraíso existe. A natureza começa seu espetáculo desde a estrada que liga as duas localidades, de onde já é possível avistar o histórico Monte Pascoal. Cumuruxatiba é marcada por suas praias paradisíacas de águas mornas. Areia Preta, Píer, Rio do Peixe, Moreira, Imbassuaba e Cahy são seis das mais procuradas praias do balneário, com direito a represa de água doce, falésias, extensos bancos de areias, além do píer de madeira que avança um quilômetro mar adentro, não estando, no entanto, mais em condição de uso, tendo ficado apenas suas estacas enfiadas no mar.

Foto 06Toda esta região litorânea de Cumuruxatiba, Foz do Rio Cahy e Corumbau são locais muito bem retratados nas obras literárias “Folia das Palavras”, “O Poeta que Comprou o Mar”, “Imbassuaba”, “Do Assessor de Imprensa ao Assessorado” e “ABC do Jornalismo”, livros premiados no Brasil e em vários países do mundo de autoria do escritor e jornalista Athylla Borborema, um dos filhos mais ilustres do município e é quem melhor historiógrafa a memória e as belezas das praias do litoral norte do município de Prado em suas obras e em suas escritas jornalísticas.

Foto 07Na praia da Foz do Rio Cahy, foi onde os descobridores primeiro fizeram um pit stop por 48 horas antes de desembarcar em Porto Seguro e em Coroa Vermelha, em abril de 1500. A sensação de estar redescobrindo o paraíso é intensificada quando, do oceano, se vê despontando o Monte Pascoal no meio da mata virgem e aos fundos da Foz do Rio Cahy. E alguns desafios dignos de exploradores são impostos pela região, como os quilômetros de estrada de terra que você precisa percorrer e vencer as pontes de madeira tem a sensação de ter alcançado o paraíso, além da falta de infraestrutura da prestação de serviço, como postos de combustível e agência bancária, por exemplo.

corumdNo balneário se fala que 2 dias na Ponta do Corumbau equivalem a 15 de descanso. Os índios pataxós já sabiam disso quando batizaram e escolheram a praia. Corumbau significa: “longe das preocupações”. Em vez do som de buzinas, ônibus e sirenes, prevalece a sinfonia do vento agitando o coqueiral, o som da maré e das palhas de coco. De Corumbau você pode fazer um passeio de bugre muito maneiro, atravessar o rio Corumbau de canoa e do outro lado, já em território de Porto Seguro, embarcar em um bugre e ir conhecer a 6 quilômetros ao norte à aldeia indígena pataxó de Barra Velha, uma das primeiras aldeias civilizadas do Brasil, onde você poderá conhecer a sua cultura e comprar artesanato e, a 12 quilômetros de Corumbau, também ao norte, está o histórico e fascinante balneário de Caraíva. (Da redação TN)